Literatura

Crônica: Preocupações de Mãe

17:11

Preocupações de Mãe

Eu estava sozinha em casa com minha mãe, mas em cômodos diferentes. Fui então até ela, pois precisava falar algo. Após ter falado, ela então disse em um tom mais sério: Olha, eu preciso falar com você. A partir de então, comecei a vasculhar na memória o que eu havia feito que mereceria a advertência que ela parecia intentar dar. Daí, eu disse: Que que eu fiz? E ela continuou dizendo: Eu só quero que você me escute... vou falar algo com você, mas não me interrompa e me ouça até o fim sem dizer que eu já te disse isso.
Achei estranho pra caramba, pois eu não me lembrava de nada errado que havia feito recentemente, e pelo tom de mamis, era algo relevante. Apesar de internamente inquieta, silenciei e falei que ela poderia dizer o que queria. E para o meu alívio e engraçada surpresa, ela começou a me ensinar sobre afazeres domésticos, pois acho que agora que não moramos mais juntas, as preocupações dela referentes a este "tema" aumentaram.
E foi então que ela passou instruções sobre como lidar com panela de pressão (ela me ensina isso desde que eu comecei a engatinhar!), como lidar com panelas de alumínio para que ele não passe para a comida e sobre como regular a temperatura do ferro de passar roupas. Ouvi atentamente no começo, mas no meio da sessão instrução, passei a refletir sobre as preocupações da minha mãe. Nessa hora, inclusive, dei umas risadinhas e ela disse q era pra eu parar de rir, provavelmente devido a seriedade do assunto.
Assim como a minha é, as mães no geral o são... Se preocupam com nossas vidas, com o nosso dia-a-dia e, muitas vezes, com minúcias que a nosso ver são até irrelevantes, mas para elas não. Mesmo as mais liberais se preocupam e fazem de tudo o que estiver no alcance para evitar algo que possa nos prejudicar.
E assim crescemos... aos cuidados daquela que sempre quer o nosso bem e não mede esforços para que ele seja realmente alcançado.
Esses momentos e muitos outros me levam a considerar a importância do singular "amor materno".
E mesmo não concordando sempre com a minha mãe, acredito que ela foi feita sobre medida pra mim. E não me considero nem um pouco pretensiosa por pensar assim.

POSTS QUE VOCÊ PODE GOSTAR

1 comentários